Seja bem-vindo ao Gossip Girl Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre Gossip Girl e seus atores. Aqui você encontrará informações e conteúdos interativos sobre a série, além de todas as notícias acerca da vida pessoal e profissional do elenco, com seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos de alta qualidade. No ar desde 2013, o GGBR busca manter viva a memória de Gossip Girl e reunir os fãs do show que ainda hoje são apaixonados pelo universo da série! Você também ficará por dentro de tudo sobre a nova versão de Gossip Girl, lançada pela HBO Max. Esperamos que vocês se divertiram com todo o conteúdo do site, desfrutem das fotos da galeria e voltem sempre!

Está com saudade do nosso amado elenco de Gossip Girl? Então esse post é para você! Contaremos, com detalhes, tudo o que o nosso eterno elenco favorito está preparando para 2021. Não sabemos com o que alguns atores trabalharão este ano, mas vários deles já estão com projetos confirmados. Confira:

Taylor Momsen/The Pretty Reckless

  • NOVO ÁLBUM:

Que a nossa antiga Little J é hoje um dos maiores nomes femininos do rock, todo mundo já sabe! A The Pretty Reckless, banda da qual Taylor Momsen é a vocalista, irá lançar seu quarto álbum este ano. O título é “Death By Rock And Roll”, e ele já tem data de lançamento marcada: 12 de fevereiro! Ainda este mês, a banda lançou “And So It Went”, single que faz parte do álbum.

Blake Lively

  • DARK DAYS AT THE MAGNA CARTA:

Blake Lively vai estrelar o thriller pós-apocalíptico “Dark Days At The Magna Carta”, que esta sendo projetado para ser uma trilogia. O longa será produzido por Shawn Levy e os direitos de distribuição foram adquiridos pela Netflix.

Não ha maiores detalhes da trama, mas segundo o THR, o longa se centrará em uma mulher que se esforça ao máximo para sobreviver e salvar sua família após um evento catastrófico de proporções mundiais.

Além de protagonizar a trama, Lively também será uma das produtoras.

  • THE MAKING OF:

O filme se trata de uma comédia romântica, na qual Blake Lively atuará como protagonista ao lado de Lin-Manuel Miranda e também contracenará com nomes de peso como Richard Gere e Diane Keaton. Ainda não temos maiores informações sobre o lançamento.

Chace Crawford

  • THE BOYS (S3):

A terceira temporada de The Boys ainda não possui data de estreia definida. No entanto, as filmagens começam no início de 2021, conforme revelou o showrunner Eric Kripke: “a terceira temporada começa a ser filmada no início de 2021 — vocês não estão preparados p****.” A data está sujeita a alterações devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Caso as filmagens realmente ocorram no início de 2021, uma estreia no final deste ano é um palpite.

Chace Crawford interpreta o personagem The Deep na série.

Penn Badgley

  • YOU (S3):

Apesar de a terceira temporada ainda não ter uma data de estreia definida, seus 10 episódios devem chegar ao catálogo em 2021. Aliás, há grande chance de que a Netflix siga seu padrão e lance a nova parte no dia 26 de dezembro de 2021.

 Penn Badgley e Victoria Pedretti retornam como os protagonistas Joe Goldberg Love Quinn.

Jessica Szohr

  • THE ORVILLE (S3):

O criador da série, Seth MacFarlane, confirmou que a terceira temporada ainda está acontecendo.

Durante uma transmissão ao vivo com Jessica Szohr, que interpreta Talla Keyali na série, MacFarlane disse que embora não possa revelar muitos detalhes específicos, ele pôde confirmar que a série está em andamento, garantindo que fazer a terceira temporada “é uma grande prioridade”.

Szohr então revelou que eles estavam no meio da produção quando a pandemia do coronavírus chegou, o que desligou tudo. “Nós estávamos, tipo, empurrando no meio da temporada, os roteiros estavam explodindo, acelerando e então foi tipo: ‘Parem!’”, disse ela, ao que Macfarlane garantiu que eles voltarão para trabalhar em breve.

“Tem havido muita especulação online: a série vai voltar? A série ainda é uma grande prioridade para mim e para o elenco e todos os outros. Temos uma temporada para terminar e vamos terminá-la”, ele afirmou. “Agora é só questão da logística de como fazemos, nesse clima, enquanto mantemos todos seguros. Para uma série com muita maquiagem protética que requer contato próximo, muitos artistas de fundo, é um grande trabalho e você quer certifique-se de fazer isso de uma forma que mantenha todos seguros e protegidos. Assim que definirmos esses protocolos, começaremos de novo e você obterá mais sobre ‘Orville’”.




Na série “Gossip Girl”, Penn Badgley e Chace Crawford interpretaram dois personagens adolescentes muito diferentes: Dan Humphrey, de Badgley era um membro dos literatos do Brooklyn, enquanto Nate Archibald, de Crawford, habitava o turbilhão social de Manhattan. Agora, seus papéis adultos subvertem essas imagens: Badgley interpreta um livreiro – e assassino em série esnobe – em “You”, da Netflix, enquanto Crawford faz um super-herói arrogante e arrogante em “The Boys”, da Amazon. Claro, os dois atores tinham muito a dizer sobre “Gossip Girl” também. Eles conversaram entre si durante o bate-papo por vídeo da edição de Variety sobre Atores.

Chace Crawford: Penn, amigo! Eu assisti à primeira temporada de “You” alguns anos atrás, mas assistindo a segunda temporada ontem à noite, foi interessante ver um cara com quem trabalhei por tanto tempo na tela da minha TV novamente. Mas como foi interessante para você – o programa que começou no Lifetime tendo uma certa trajetória e depois foi transferido para a Netflix e ficou na frente de 100 milhões de pessoas instantaneamente?

Penn Badgley: Acho que quando poucas pessoas assistiram ao longa  na Lifetime – a rede para mulheres, de todas as redes – acho que estava pensando sobre a ambiguidade moral disso. Fui transparente sobre o meu conflito moral de interpretar esse cara. Eu me senti muito melhor com o que estávamos fazendo quando muitas pessoas assistiam, não porque eu precisava da gratificação de muitos espectadores, mas, mais do que isso, faz sentido; as pessoas estão respondendo ao modo como estamos entrando nessa conversa sobre os tropos da comédia romântica e os tropos do protagonista masculino branco romântico. Em uma série exibida em streaming, você cria a coisa toda antes que alguém a veja. É o mesmo com o seu?

Crawford: Foi. Não apenas fizemos a primeira temporada, a série foi escolhida para uma segunda temporada e ainda não havia sequer estreado. É interessante para mim, porque também, cara, para ser sincero, passamos de “Gossip Girl” para interpretar desprezíveis homens brancos privilegiados. Eu tive as mesmas dúvidas que você.

Badgley: O que eu realmente gosto no seu personagem, que é para o bem ou para o mal, semelhante ao meu, é que você começa a conhecer o quão ruim ele é. E honestamente, para mim, sem saber o tom do programa, no primeiro episódio, ele continua se desenrolando, como “Oh, espere.” Sinceramente, fiquei muito empolgado em ver você interpretando esse super-herói digno. E então eu fico tipo, “Oh, não. Só deu uma guinada.”

Os dois são os programas em que imediatamente tomam o rumo que estão trabalhando, no seu caso, é um super-herói e, no meu caso, acho que é como o protagonista masculino romântico e, basicamente, no primeiro episódio, ele é espancado com uma marreta. É muito interessante ver o comentário e a sátira em que os showrunners estão mais interessados agora e em que o público tende a estar mais interessado.

É como se tivéssemos visto coisas felizes, doces e sacarina, e agora estamos tentando desconstruir tudo, porque vemos como isso talvez não tenha nos servido.

Crawford: Eu concordo plenamente com você, e na verdade eu tinha uma pergunta sobre isso. Eu ia perguntar, você percebe como você é engraçado em alguns momentos? Ele é quase patético

Badgley: Totalmente

Crawford: É esse tipo de sentimento estranho que você não quer sentir

Badgley: Eu achei o seu personagem muito mais compreensivo e doce. O seu cara, especialmente porque, no final, ele estava se autoagredindo, o que eu tenho que dizer, eu estava tipo, tem algo entre a guelra e ela. E me desculpe se eu estou estragando isso para alguém, mas foi tão visceral. De outro modo, não seria possível mostrar um tipo de ataque tão intimo se estivéssemos lidando com órgãos genitais humanos reais, mas com o fato de que é assim. Torna-se uma alegoria de uma maneira que a vemos penetrar em você. E é estranho, cara.

Crawford: Foi difícil para eu assistir, e confie em mim, também não foi divertido filmar, com o diretor ali e dando notas muito específicas.

Badgley: Quanto disso era protético? Quanto disso era CGI?

Crawford: Eles colocaram as próteses reais na minha pele durante a primeira parte da cena. Eles tiveram ótimos efeitos especiais, replicando todo o meu torso ate os pelos do peito. Estou deitado la, e tenho meu proprio torso falso com branquias que tem um pouco mais de espaço, e ele esta atras de mim bombeando-as com essas bombas de ar para que elas se movam, e o diretor está bem em cima de mim. Eu fico tipo, “Pessoal, eu estou enjoado. Posso sair?”

Badgley: Eu tinha uma coisa parecida em que tínhamos que fazer uma prótese no meu braço direito, porque meu dedo mindinho foi cortado no segundo episódio. Isso foi um pouco surreal. Quando The Deep não quer … ele tem um nome humano?

Crawford: É Kevin

Badgley: Isso é engraçado. Então, quando Kevin, The Deep, quando essa mulher pede para ele tirar o terno – eu não sei. Foi apenas mais um momento em que fiquei surpresa com a vulnerabilidade do seu personagem. Acho que meu personagem joga de certa forma vulnerável, mas provavelmente tem, bem – definitivamente tem uma psicose muito mais profunda.

Crawford: O interessante de Joe – é quase como uma continuação estranha de Dan.

No final de “Gossip Girl”, o programa, seja qual for a sua reação, seja inteligente fazer isso ou não, que ele é Gossip Girl – na verdade não estava alinhado com o personagem de Dan. Certo?

Badgley: Sim!

Crawford: Eu acho interessante que Joe, nós meio que sabemos quem é esse cara. Vocês como um show realmente fazem isso. É interessante por que as pessoas querem continuar assistindo e ver para onde vai. É pornografia de tortura? É um valor de choque? As pessoas adoram.

Badgley: É tudo isso e muito mais. Eu acho que é emblemático do nosso tempo, porque em 2007 – quero dizer, cara. Isso foi há muito tempo quando éramos apenas meninos. As pessoas queriam assistir a um programa como “Gossip Girl” porque era aspiracional. Foi como uma fuga. Parecia ter atingido um certo ponto cultural, porque era essa visão fantástica e aspiracional de excesso e riqueza. Mas agora, voltanto para 13 anos depois, as pessoas não estão interessadas nisso. E acho que sim. Agora eles estão interessados ​​em desconstruir por que estamos tão fascinados com isso em primeiro lugar. Estamos interessados ​​em desconstruir esses sistemas de privilégios. Não estou dizendo que nossos programas de televisão estão fazendo isso, mas estou dizendo que é nisso que as pessoas estão mais interessadas, portanto, esses programas refletem isso. Crawford: A cortina caiu. Em 2007, “Gossip Girl” estava nervosa.

Badgley: Eu sei, cara. Isso é engraçado porque realmente era. E agora, quero dizer, não vejo há tanto tempo. Seria muito interessante assistir agora. Você viu isso recentemente?

Crawford: Amigo, você precisa me amarrar em uma maca e abrir meus olhos como “Laranja Mecânica”. Mas não, seria interessante ver o primeiro casal, talvez.

Badgley: Eu sei que assisti com minha esposa, com Domino [Kirke], antes de nos casarmos. Faz seis meses que nos conhecemos. Ela nunca tinha visto, e é a última vez que me lembro de ver um episódio. Lembro-me, mesmo assim, não tem nada a ver com o show, mas foi muito difícil de assistir. Esses instantâneos de si mesmo quando você tem 20, 21, 22 anos. Quem pode gostar disso? Às vezes é apenas desconfortável.

Crawford: Sim claro. Eu realmente não gosto muito de me ver em geral. Então, para voltar e abrir a cápsula do tempo, acho que haveria algum valor nostálgico. Estamos fazendo isso quando você vem para Los Angeles. Vamos tomar uma bebida.

Badgley: Uma pequena festa para asssitir. Cara, se publicarmos um episódio de “Gossip Girl”, as pessoas adorariam.

Crawford: Nós não tivemos que lidar com tudo isso. Lembre-se de 2007, foi quando o primeiro iPhone foi lançado. Eu lembro que você entendeu. Lembro que você a teve em uma festa de Halloween. Você teve o primeiro iPhone e pense nisso agora. Lembro que éramos mais sobre telefones com câmeras e isso e aquilo. Não havia mídias sociais.

Badgley: Blake [Lively] me deu isso. Eu estava literalmente tipo: “Eu não quero isso. É tão complicado e tem todos esses aplicativos “.

Crawford: Yeah

Badgley: Mas, cara, eu me lembro de ter encontrado um publicitário naquela primeira temporada, e ela estava falando sobre isso chamado Twitter. E como ela explicou o Twitter, eu fiquei tipo, “O que é essa bobagem? Não quero ter uma conta no Twitter e você tweeta. O que é essa coisa de pássaro? Isso é algo que, na verdade, anos depois, acho que devemos dar crédito a “Gossip Girl”.

Crawford: Estava à frente de seu tempo. Ele realmente tocou em algo interessante à beira de tudo isso mudar. Eu sou como, “Por que eu quero colocar minha vida lá fora? Estou tentando me arrastar para dentro da minha concha de eremita. Eu sou um câncer. ” Mas agora estamos todos participando. Faz parte do negócio. Eu deveria te seguir.

Badgley: Devemos nos seguir.

Crawford: O que estamos fazendo?

Badgley: Poderíamos ter seguidores no nível da Rihanna. Na verdade, isso provavelmente não é verdade. Eu sempre tentei ser transparente e sincero e grato pela maneira como “Gossip Girl” me posicionou para estar em um papel como esse e para que ele tivesse o efeito específico que ele tem. Porque é interessante que, independentemente da minha performance, o fato de ser simplesmente eu, apenas um dos personagens principais do programa chamado “Gossip Girl”, e eu acabei sendo Gossip Girl – mesmo que possamos discutir se isso faz ou não sentido. E podemos discutir se Dan é mesmo um protagonista masculino no programa, porque o coração do programa estava em outro lugar.

Mas enfim, sou eu [no “Você”] interpretando esse cara Joe, e isso faz muito sentido de alguma maneira. O engraçado é que não fiquei empolgado em dizer: “Oh, essa é uma visão tão diferente e interessante de uma vibe semelhante”. Eu era muito consciente disso e estava inclinado a dizer: “Isso é bem diferente”. Mas de certa forma, é quase como Dan, apenas com mãos ensanguentadas.

Crawford: Eu ouvi você.

Badgley: Eu acho que o que se tornou realmente gratificante foi quando você entrou, especialmente na segunda temporada – especialmente na segunda metade – episódios de sete a 10 -, e acho que você realmente começa a ver Joe tentando mudar e piorar. Isso entra na psicose dessas coisas em um nível realmente detalhado. Eu sinto que consegui esticar minhas pernas.

Crawford: Na viagem ao LSD, você fez alguma pesquisa? Seu desempenho foi incrível.

Badgley: Com 20 e poucos anos, fiz muitas pesquisas.

Crawford: Você tem alguma improvisação?

Badgley: Eu acho que, na verdade, onde eu mais improviso, ironicamente, é no estande de locução. Eu desenvolvi uma confiança com os co-criadores Greg Berlanti e Sera Gamble. Eles realmente confiam em mim para entrar lá.

Entro lá sozinho, salvo o engenheiro e um co-produtor, e às vezes quase não tenho direção. Acabei de passar por um episódio inteiro e ainda não o filmamos em geral – então, quando sai da minha boca, você percebe que há algo nessa lógica. Muitas vezes há muitas camadas diferentes de um momento: ele está dizendo uma coisa para a pessoa com quem está em cena; ele está pensando outro sobre eles; mas também essa [outra] pessoa que talvez ele tenha matado e esteja no porta-malas do carro dele. Enquanto isso, ele está twittando, enviando mensagens de texto ou algo para encobri-lo. Depois, ele também pensa no que fará na próxima cena.

Crawford: Isso é muito. Você o torna tão integrado que não percebe o quão difícil é fazer isso.

Badgley: Na narração, sinto que essa é minha maior contribuição para o programa. É quase como se eu fosse um ator de dublagem primeiro. E então, basicamente, o resto do tempo eu apenas estou olhando.

Eu sinto que por você, você ainda está apenas arranhando a superfície de sua amplitude cômica. Eu sinto que todo o elenco de “Gossip Girl” sentiu como se você pudesse ter alguma margem de manobra na sua bizarra marca de humor, que seria apenas um sucesso fenomenal. Tenho certeza de que seus colegas de trabalho em “The Boys” viram isso. Mas eu sinto que você é um cômico, bem à espera de ser explorado.

Crawford: Eu finalmente tenho que deixar voar. Tem sido divertido. Lembro que fiz em “Gossip Girl”. Eu senti como se nossas cenas em particular fossem as únicas em que tentei trabalhar. Acho que alguns dos momentos mais divertidos são nas cenas de Nate e Dan.

Badgley: Nate era um personagem tão difícil porque você era o cara hétero. Era como se ele fosse tão perfeito que ele só tinha para onde ir, exceto para baixo.

Crawford: Sim, sempre dando um soco no pai. Aqueles foram os bons dias, no entanto. Nem me lembro qual foi o nosso primeiro momento no set. Lembro-me do hotel Palace. Foi definitivamente a minha primeira vez em Nova York. Temos o tapete vermelho imediatamente.

Badgley: Isso foi notável. Parece outra vida para mim. Quando penso em estar no palácio, isso parece uma pessoa diferente. Parece outro mundo, outra vida. É bem selvagem.

Crawford: estou tentando lembrar o nome do gerente que sempre cuidaria de nós. Estamos sentados no pátio entre as tomadas, ele acabou de aparecer e disse: “A câmera te ama” e simplesmente vai embora.

Badgley: Ele é o único – quando Blake e eu fomos lá para comer, provavelmente foi quando estávamos filmando lá. Eles tinham um sanduíche de queijo grelhado chamado “The Gossip Girl Grilled Cheese Sandwich”. E eu fiquei tipo: “Você deveria chamá-lo de ‘The Gossip Grill’ ‘.” E então, ele pegou o menu e entrou, mudou o nome, imprimiu um menu diferente e me entregou um novo menu com a minha sugestão. . E eu fiquei tipo, “OK. Esta é uma maneira de viver.

Crawford: As novas crianças não receberão esse tratamento [na reinicialização de “Gossip Girl” da HBO Max].

Badgley: Cara, eu estou tão interessado em ver como é. Desejo-lhes felicidades. Também estou realmente interessado em ver como as pessoas reagem a isso.

 

Fonte: Variety

Tradução & Adaptação: Equipe GGBR




Parece que temos um antigo casal de volta na área! Chace Crawford e Rebecca Rittenhouse foram vistos juntos na última quarta-feira (25), levando o cachorro que os dois adotaram na época em que namoravam para passear nos arredores do Los Feliz, bairro onde o ator mora em Los Angeles.

Chace Crawford e Rebecca Rittenhouse foram namorados de 2015 até o começo de de 2019. Os dois terminaram o namoro provavelmente por conta de suas agendas! Cada um estava gravando em um local e não conseguiam se ver frequentemente. Porém, agora ambos estão em Los Angeles.

Após o término com Rebecca, Chace Crawford se envolveu com a modelo Ana Ewers. Os dois nunca oficializaram a relação, mas eram vistos juntos em publicações feitas por amigos. Contudo, a última vez em que Chace foi visto com Ana foi em outubro de 2019, em um casamento!

Com as medidas de isolamento social adotadas na Califórnia, Chace Crawford tem saído de casa apenas para levar seu cachorro para passear no bairro. Como ele e Rebecca foram vistos por lá, é provável que a atriz esteja inclusive na casa dele! Gostaram desse retorno?!




Divulgado o trailer do novo filme de Chace CrawfordInheritance! O thriller, que também é estrelado por Lily Collins Simon Pegg, terá sua estreia durante o Tribeca Film Festival – que está previsto para acontecer entre os dias 15 e 26 de abril, mas pode ser adiado devido à pandemia do Coronavírus (COVID-19).

Um patriarca de uma família rica e poderosa falece subitamente, deixando sua esposa e filha com uma herança secreta chocante que ameaça desvendar e destruir suas vidas.

Confira o trailer legendado em PT/BR pela nossa equipe:

Trailer original:

Confira mais informações de “Inheritance” no IMDb e acompanhe as próximas novidades por meio das nossas redes sociais (Twitter | Instagram)!

XoXo, GGBR




Neste sábado (21), Chace Crawford foi visto enquanto passeava com seu cachorro, Shiner, em Los Feliz, bairro onde o ator mora na cidade de Los Angeles, na Califórnia.

O ator saiu para uma rápida caminhada nos arredores do quarteirão, mas está segundo as medidas de isolamento social adotadas pelo estado por conta da pandemia do Coronavírus (COVID-19).

Confira as fotos em nossa galeria:




Novo projeto de Chace Crawford na área! O ator já havia sido anunciado como integrante do elenco de “Inheritance”, ao lado de Lily CollinsSimonn Pegg. O filme é um thriller, cuja trama, escrita por Matthew Kennedy, gira em torno de um patriarca de uma família rica e poderosa que de repente morre, deixando sua esposa e filha com uma herança secreta chocante que ameaça desvendar e destruir suas vidas.

Ainda não temos grandes informações acerca do personagem de Chace: sabemos apenas que ele será irmão da protagonista, interpretada por Lily.

No entanto, foi revelado pelo Deadline que o filme terá sua estreia durante o Tribeca Film Festival, que acontecerá durante os dias 15 e 26 de abril.

Também foi divulgado que os direitos norte-americanos da produção foram adquiridos pela Vertical Entertainment e pela DirecTV. De acordo com os termos do acordo, o filme dirigido por Vaughn Stein será apresentado na DirecTV em abril, um mês antes de seu lançamento no dia 22 de maio pela Vertical.

Confira mais informações de “Inheritance” no IMDb e acompanhe as próximas novidades por meio das nossas redes sociais (Twitter | Instagram)!

XoXo, GGBR




layout desenvolvido por lannie d. - gossip girl Brasil